sábado, 30 de março de 2013

Um gladiador que nem é romano

Será que alguém se vai importar que eu faça um artigo completamente parcial e partidário ? É que será impossível para mim escrever sobre este homem sem o ser ! Esperemos que ninguém se importe (ou então que os importados me dêem feedback a mim e visibilidade a este artigo !).
Ora bem, estava eu a passear pela net quando me deparei com o seguinte vídeo que já me havia sido mostrado antes por um amigo :


Quem me conhece sabe que eu sou um absoluto fã deste homem e, apesar da duração de 9 minutos que o vídeo tem, decidi vê-lo. À medida que o vídeo foi avançando eu fui percebendo que muitos dos 171 golos apontados pelo senhor me traziam memórias e recordações. Quando finalmente reflecti bem sobre o assunto acabei por chegar à conclusão que este foi o meu ídolo de infância, de adolescência, o homem que influenciou muita da minha forma de pensar, de ver futebol e até de jogá-lo. Quis ver se estava sozinho ... o que fiz ? Decidi ir ler os comentários. Não tardou muito até perceber que não estava, de facto, sozinho. Os comentários de apreço multiplicavam-se e eu percebi a verdadeira dimensão internacional deste "one club man".

Steven George Gerrard, nascido dia 30 de Maio de 1980 nos arredores de Liverpool, a cidade dos Beatles. Criado no seio de uma família onde se respirava Liverpool, o seu amor pelo clube é mais do que fácil de se perceber. Foi lá que deu os seus principais passos como futebolista depois de ter começado a sua prática de futebol num pequeno clube da sua cidade, não sem antes passar pela equipa de futsal da sua escola. Lá, já uma sua professora dizia que ele tinha um incrível espírito de liderança para uma criança da escola primária. Nas suas palavras, "o Steven não dizia aos rapazes que tinham que fazer aquilo ou aqueloutro. O Steven mostrava-lhes como se fazia.". A nível técnico as suas capacidades não deviam ser inferiores, visto que foi muito novo observado pelos scouts "reds" e levado para o clube vermelho como o seu coração e do seu coração. Lá fez a sua formação até quem em 1998, com 18 anos, fez a sua primeira aparição pela primeira equipa numa partida frente ao Blackburn Rovers. O resto é história ...

Falando do futebolista, Gerrard é conhecido por um pontapé de meia-distância que se tornou quase a sua imagem de marca. Mas ele tem muito mais truques no seu baralho. Apesar da idade não perdoar e lhe ter afectado as capacidades físicas, no seu auge, o eterno capitão "Red" era um jogador razoavelmente veloz (não era um velocista mas não era de todo lento, tanto que fez toda a sua formação a lateral-direito e actuou muitas vezes sobre o mesmo flanco do ataque). A sua qualidade no passe, quer seja curto ou longo, também é um ponto de destaque do seu futebol, bem como os seus letais cruzamentos, a sua capacidade de finalização que é muitíssimo boa para um médio-centro e o seu elevado número de desarmes e recuperações de bola por jogo. É um jogador capaz de atacar e de defender, capaz de correr quilómetros ao longo da partida e que tanto pode vestir a pele do maestro que pensa o jogo e comanda a sua orquestra vermelha de jogadores como também a do carregador do piano que faz o trabalho sujo e sai esfalfado do recital futebolístico.

Estamos, portanto, na presença de um dos médios mais completos da história do futebol moderno. Mas isso por si só não será suficiente para justificar a dimensão que Gerrard tem. Temos que pensar "outside the box" quando falamos deste box-to-box. Temos que ir além do técnico e do táctico. Acima de tudo, Steven Gerrard personifica a alma e a paixão que tanta falta fazem ao futebol dos dias correntes. Desde 1998 que está no mesmo clube e que o serve com a mesma dedicação e desde esse mesmo período que tem a mesma entrega e coragem em todas as partidas que disputa. Disputa cada jogo como se fosse o mesmo miúdo de 18 anos a tentar conquistar o seu lugar no clube que tanto ama mas ao mesmo tempo como se fosse a última partida da sua carreira e tivesse que deixar tudo em campo. É uma referência no departamento da garra, entrega e dedicação, da coragem, da raça e do crer, da paixão, da luta, do espírito de sacrifício e da liderança. Muito mais do que aqueles 171 golos que marcou e de outros tantos que venha a marcar, é o seu lado gladiador e apaixonado que o irá tornar eterno.

Faltou-lhe, talvez, um pouco de glória na carreira. Mas isso é indubitavelmente compensado pela integridade e pelo carácter que sempre demonstrou. Um exemplo para muitos !

Temo pelo dia da sua retirada dos relvados. Porque quando Steven Gerrard se reformar levará consigo um pouco de mim e um pouco de cada fã que admira tanto as suas características como eu. Mais que isso até ... levará um pouco do Liverpool consigo. O futebol ficará mais pobre nesse dia, mas o "hall of fame" das lendas retiradas ganhará mais uma figura de destaque. Um "Captain Fantastic", um gladiador, um ídolo, um estandarte ... enfim, Steven Gerrard !




6 comentário(s):

Redceltic disse...

Depois do grande Scholes, foi este jovem e Lampard que reforçaram a ideia do box to box. posição associada aos ingleses por causa destes 3 meninos.
Xavi e Iniesta tornaram essa posição em algo de extra terrestre, mas isso é outra história.

30 de março de 2013 às 02:17
Anónimo disse...

Eu sou da opinião que o DP deveria apostar mais em artigos deste tipo. Para quê redigir notícias que rapidamente vemos, e mais atualizadas, nos sites de maior gabarito?

Duplo Pivot, têm matéria-prima mais que suficiente para apostar em artigos desse grau e espero mais do mesmo a partir de então

The Cs1

30 de março de 2013 às 02:17
Gonçalo disse...

Gerrard, Totti, Giggs para mim são 3 dos maiores exemplos do que é futebol, o verdadeiro e puro futebol. Grande artigo, mt profundo e tocante, parabéns!

30 de março de 2013 às 02:45
Drama disse...

Ele é o típico box-to-box, um jogador se calhar mais rudimentar a nível técnico mas com capacidade defensiva e uma boa chegada à área. Considero-o mesmo muito completo.

31 de março de 2013 às 03:48
Drama disse...

Acho que o blog já faz dos textos de opinião o seu principal foco, mas mesmo assim muito obrigado pelo elogio que consegui daí retirar na questão da matéria-prima ehehe.
E muito obrigado pelo feedback e pela sugestão !

31 de março de 2013 às 03:49
Drama disse...

Muito obrigado pelo apreço !
Partilho desse ponto de vista, essa lealdade, especialmente nos dias de hoje, é algo que me fascina muito ver num futebolista.

31 de março de 2013 às 03:50

Enviar um comentário

 
DUPLO PIVOT | by TNB ©2010